Minha infância está em Cardpocalypse

O jogo, lançado pela Versus Evil e desevolvido pela Gambrinous, traz uma história e gameplay leves e divertidos. Um card game sem muita enrolação, no qual você não vai ver as horas passarem enquanto joga. Pra mim, uma criança dos anos 90, quase 2000, jogadora de todos os tipos de cartinhas existentes durante minha infância, o jogo trás ainda uma nostalgia inata.

Apocalypse? é pra tanto?

Em Cardpocalypse você joga como Jess, ou Jéssica, uma criança que acabou de chegar em sua nova escola. Ou seja, a novata do parquinho. A escola está aparentemente dominada por um novo card game, e como presente de seus pais, você encontra seu primeiro baralho em sua mochila, indo para a escola. Contra Yolanda, sua primeira amiga, você faz o tutorial e dai em diante, seu dia é definido por batalhas e interação com seus novos colegas.

meu primeiro baralho

Até aqui, o melhor é o seguinte, o game está todo em português. E se você tiver sido uma criança ao mesmo estilo que eu, com certeza vai se relacionar com Jess a medida que as coisas desenrolam. Perdendo e ganhando joguinhos de carta e até mesmo tendo suas cartas apreendidas pela diretora depois de uma discussão. A diferença é que no meu tempo, era Yu-Gi-Oh! hehe. E o card game vem até mesmo acompanhado de um seriado, então Jéssica vê todos os episódios. É claro.

Minha infância está em Cardpocalypse

O objetivo de Jess é se divertir. Sendo assim, não faz mal se você não ganhar todas as suas batalhas. Você ainda pode adaptar o seu deck e conseguir novas cartas, inclusive, das diferentes facções do jogo. Você começa com dois baralhos dos Woolftopians, uma espécie de raça de canídeos. Mas logo de cara ja é possível conhecer as outras facções batalhando contra elas.

canídeos em batalha

No geral, o jogo é extremamente simples, sem coisas mirabolantes. A maioria dos status você já viu em outros cardgames se costuma jogar eles. Por isso, esse é o jogo perfeito para introduzir alguém a esse gênero. Além do mais, Cardpocalypse possui momentos de conversa e exploração com os NPCs, ou seja, seu recreio. Onde você pode interagir, fazer quests e conseguir novas cartas para seu baralho.

enterro

Cartas banidas

A história do jogo certamente é um dos focos. Logo no seu primeiro dia você arranja confusão e acaba gerando o banimento do seu querido joguinho. Isso, claro, deixa seus colegas bem descontentes. Mas esse é o menor dos problemas que você irá enfrentar. Enquanto o mundo dos desenhos vaza ao seu mundo e gera, cada vez mais, caos. Você pode conferir a primeira hora de gameplay logo abaixo:

Com seus gráficos fofos e bem acabados. Mecânicas simples e satisfatórias, modo história e desafio e muito mais, Cardpocalypse é o deck-builder perfeito pra matar sua saudade dos card games. Estar em português certamente da pontos bônus ao game. Com em torno de 15-20 horas de duração segundo o HLTB, o game é perfeito para ser comprado numa sale. E já possui uma DLC baratinha para aumentar o tempo de jogo. Certamente, os amantes de card games não vão se arrepender.

E para mais jogos como esse, já sabe né? Fique de olho aqui na TGR!

Compartilhe isso:

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *